gallery/log idsdc 2

IDSDC

gallery/logo
Nova pagina 1Nova pagina 2

O sistema de nosso site não permite downloads dos estudos, mas você pode solicitá-los em PDF, entre em contato pelo portal do site e solicite gratuitamente, enviaremos por email. Estamos à disposição para atender em tudo que estiver ao nosso alcance. Fale Conosco

 

 

 

Enter page title here

Como Entender Corretamente Mateu
 

Como Entender Corretamente Mateus 28.19

 

Como entender corretamente o capítulo 28 de Mateus, versículos 19 e 20? Muitos estão ensinando o evangelho, mas será que todos estão ensinando de acordo com os ensinamentos de Jesus? Afinal, será que Mateus disse uma coisa e Lucas disse outra? Eu não acredito nisso. Na verdade, o texto de Mateus 28.19 nada tem de diferente de Lucas 24.47. Vamos entender corretamente o que de fato Jesus ensinou. "Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo" (Mateus 28.19) J.F.A.

 

Bem, vimos como a ordem de Jesus está em Mateus 28.19 segundo a versão João Ferreira de Almeida. Embora muitas versões da Bíblia tragam uma construção bem diferente desta, que postamos aqui, a maioria das Bíblias traz o texto de Mateus 28.19 grafado nesta construção. Para todos os efeitos, lembramos que nosso objetivo aqui não é questionar as Bíblias que trazem Mateus 28.19 com esta grafia, ou se não está de acordo com o texto original, porque, em primeiro lugar, isso não faz a menor diferença. E em segundo, não estamos discutindo aqui a autenticidade da versão, até porque não vemos contradição entre Lucas e Mateus, independentemente da versão que estejamos usando.

 

Agora veremos como Lucas escreveu a mesma ordem de Jesus: "E disse-lhes: Assim está escrito que o Cristo padecesse, e ao terceiro dia ressurgisse dentre os mortos; e que em seu nome se pregasse o arrependimento para remissão dos pecados, a todas as nações, começando por Jerusalém. "(Lucas 24.46,47).

 

Ora, aparentemente há uma enorme contradição entre Mateus e Lucas, não é verdade? No entanto, se entendermos corretamente o texto de Mateus, veremos que, na verdade, nenhuma contradição há entre os dois evangelistas. A ordem que aparece em Lucas 24.47 diz que o Batismo deve ser realizado em nome de Jesus, certo? (e que em seu nome se pregasse o arrependimento para remissão dos pecados). Sim. Isto é o que Lucas escreveu; que em nome de Jesus se pregasse a remissão dos pecados. – Então, por que Mateus disse outra coisa? Na verdade Mateus não disse outra coisa. Pelo contrário, Mateus, a exemplo de Lucas, disse o mesmo, isto é, que, no momento do batismo, o ministrante deve invocar o nome, e não repetir as mesmas palavras de Jesus, pronunciando os títulos.

 

Pois bem, em que nome você prefere ser batizado? De acordo com Mateus ou com Lucas? Não podemos pensar assim. Não podemos admitir divergência entre os evangelistas. Precisamos sim, encontrar o entendimento correto para não fazer confusão na hora de batizar, tendo em vista que a ordem de Jesus, tanto em Mateus quanto em Lucas, é que o batismo deve ser realizado em nome. Deus é o Pai, mas Ele tem um nome. Jesus é o Filho, que também tem um nome. E é este que deve ser invocado para remissão de pecados. 

 

A verdade é que, a grande maioria dos batizadores, no momento de efetuar o batismo, em vez de pronunciar o nome pessoal de Jesus, repete a Sua ordem efetuando o batismo nos títulos. Títulos não salvam. Segundo o apóstolo, há somente um nome que deve ser invocado no momento do batismo, e este é o nome de Jesus. Veja: "... E em nenhum outro há salvação; porque debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, em que devamos ser salvos. (Atos 4.12).

 

Observem que, Mateus, segundo a versão (JFA), escreveu: "... batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo". Ora, se a ordem em Lucas é para batizar em nome de Jesus, em Mateus também o é, pois, de qualquer forma, o batismo deve ser realizado em nome, e não nos títulos. Partindo do princípio de que "Pai, Filho e Espírito Santo" não são nomes próprios, e que são títulos, concluímos que, no momento do batismo, deve-se pronunciar o nome de Jesus. Este, pois, representa o nome do Pai, e do Filho e, consequentemente, do Espírito Santo. Portanto, todo batismo realizado neste nome, está de acordo com a ordem de Jesus em Mateus e em Lucas, cumprindo-a fielmente.

 

Cabe aqui, até por uma questão lógica, uma breve reflexão sobre o capítulo 7 do Apocalipse onde é anunciado o assinalamento dos 144 mil escolhidos das doze tribos de Israel. O sinal do assinalamento é descrito no capítulo 14 do mesmo livro, versículo primeiro, onde o anjo define esse sinal escrito em Suas frontes como o nome do Cordeiro e o de Seu Pai. "E olhei, e eis o Cordeiro em pé sobre o Monte Sião, e com ele cento e quarenta e quatro mil, que traziam na fronte escrito o nome dele e o de seu Pai" (Apocalipse 14.1).

 

A maioria das versões traz apenas o nome do Pai. No entanto, a versão (JFA), utilizada neste estudo, apesar de citar também o nome do Cordeiro, deixa claro que, quando a Bíblia cita o nome do Pai, ou do Filho, não quer dizer que tenha de aparecer a palavra "PAI ou FILHO". É preciso considerar, acima de tudo, que eles tinham escrito na fronte o nome do Cordeiro, e não a palavra "cordeiro".  

 

O fato de algumas versões citarem o nome do Cordeiro e o de Seu Pai, não requer, absolutamente, que este seja o nome do Messias. O assunto é esclarecido em outros textos da Bíblia, como por exemplo, a Carta aos Hebreus, onde o apóstolo declara que o Filho herdou o nome mais excelente. (Hebreus 1.4). Qual é o nome mais excelente? Obviamente que não há outro nome acima do nome do Pai, e este é o nome herdado por Seu Filho. A Carta de Paulo aos Filipenses, 2.9,10, é a chave para este entendimento. Neste texto, Paulo declara que Deus exaltou o Seu Filho soberanamente, tendo Lhe dado o nome que é sobre todo nome; e conclui: para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra. (Filipenses 2.9,10)

 

Ora, em Mateus 28.19, Jesus não diz que devemos repetir a Sua ordem. Pelo contrário, Ele ordena que pronunciemos o nome, consequentemente, do Pai, do Filho e do Espírito Santo. E foi isso que os apóstolos fizeram. Todos os batismos ministrados por eles foram realizados em nome, e não em títulos, conforme segue.

 

     1. Discurso de Pedro no dia de Pentecostes: "Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo" (At 2.38).

 

     2. Discursos de Pedro e João: "E em nenhum outro há salvação..." (At 4.12). Pedro continua: "... nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos" (At 4.12).

 

     3. Após receber a pregação sobre o nome de Jesus, homens e mulheres eram batizados: "... e do nome de Jesus, batizavam-se homens e mulheres" (At 8.12).

 

     4. Os crentes de Samaria também foram batizados: "... mas somente eram batizados em nome do Senhor Jesus" (At 8.16).

 

     5. Os apóstolos pregaram remissão dos pecados através do nome de Jesus: "... os que nele crêem receberão o perdão dos pecados pelo seu nome" (At 10.43).

 

     6. Outras instruções: "... Mandou, pois, que fossem batizados em nome de Jesus Cristo" (At 10.48).

 

     7. Paulo em Éfeso: "... e foram batizados em nome do Senhor Jesus" (At 19.5).

 

     8. O batismo por imersão: "... fomos sepultados com ele pelo batismo na morte" (Rm 6.4). O nome do Senhor Jesus acima de tudo: "[...] fazei tudo em nome do Senhor Jesus[…]" (Cl 3.17).

 

     9. Jesus ordena o batismo em Seu nome. "...e em seu nome se pregasse o arrependimento e remissão dos pecados, a todas as nações[...]" (Lc 24.47).

 

     10. Repetir uma ordem não é sempre o mesmo que obedecê-la. Quando um ministro batiza alguém dizendo: "eu te batizo em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo", ele simplesmente repetiu a ordem, ao invés de obedecê-la. E porque não obedeceu? Porque os títulos, neste caso: "Pai, Filho e Espírito Santo" foram invocados em lugar do nome próprio de Jesus. Neste caso, o nome não foi invocado, e sim os títulos.

 

     11. O primeiro batismo da história da Igreja foi realizado em Nome de Jesus Cristo. (At 2.38), além disso, dentro do plano de salvação está incluído o batismo (Mc 16.16), I Pd 3.21, At 22.16, At 8.36-38 e At 16.29-33).

 

     12. O Batismo em Nome de Jesus é para Judeus (At 2.38), para Samaritanos (At 8.16), para Gentios (At 10.48), para os discípulos de João Batista (At 19.1-5), e para toda a família de Deus. "... de nosso Senhor Jesus Cristo, do qual toda a família nos céus e na terra toma o nome" (Ef 3.14,15).

 

     13. Diz o apóstolo: Acima de todo principado; autoridade, poder, e domínio, e de todo nome que se nomeia está o Nome de Jesus, não só neste século, mas também no vindouro (Ef. 1.21 e Fl. 2.10).

 

     14. Paulo questionou os irmãos da Igreja dos coríntios a respeito do nome em que eram batizados. "Perguntou-lhes, então: Em que sois batizados então?". A pergunta de Paulo faz muito sentido, pois, sem mencionar o nome não há remissão de pecado. "E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos" (Atos 4.12). Então Paulo entendeu que eles eram batizados, no batismo de João, em nome de Jesus. "E os que ouviram (João), foram batizados em nome do Senhor Jesus". (At 19.5 – destaque nosso).

 

     15. Ou foste vós batizados em nome de Paulo? Indagou o apóstolo. Isto esclarece que o batismo deve ser realizado em nome de alguém, e esse Alguém não é outro senão o Filho de Deus. Paulo recomendou: "sede meus imitadores como eu o sou de Cristo" 1 Co 2.1), se ele batizava em Nome de Jesus, em que nome deve o novo convertido ser batizado para que se torne seu imitador?

 

     16. A Igreja está edificada sobre o fundamento dos Apóstolos e profetas, sendo o próprio Cristo a pedra da esquina. (Ef 2. 20); e os apóstolos, como sabemos, batizavam em Nome de Jesus. Leia também (1 Co 8.11).

 

     17. Jesus enviou os apóstolos guiados pelo Espírito Santo a batizar em Seu Nome; pois o Espírito Santo lhes foi dado para guiá-los em toda a verdade João 16: 13, e entre estas verdades, inclui-se também o batismo em nome de Jesus. (At 2.4 e At 2.38). Isto é, em Lucas 24.47, eles receberam ordem diretamente de Jesus para batizar em Seu nome, e foi o que fizeram. "...aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho...(1 Pd 1.12).

 

     18. Como vimos, a remissão de pecado deveria ser pregada em Nome de Jesus exatamente como fizeram os Seus discípulos. "E, saindo eles, pregavam que se arrependessem. ...(porque o nome de Jesus se tornara célebre)" (Mc 6.12,14).

 

     19. Porque não vemos na Bíblia nenhum batismo realizado sob os títulos, mas vemos muitos realizados em Nome de Jesus? (At 8.16; 19. 5).

 

     20. Mateus estava presente quando Pedro proferiu a ordem para que fossem batizados em nome de Jesus Cristo" (At 2.38). Observem-se, para todos os efeitos, que Mateus não questionou o discurso de Pedro. Isto mostra que ambos estavam de acordo. Vejam ainda: "Porque todos quantos fostes batizados em Cristo, já vos revestistes de Cristo" (Gl 3.27).

 

Caro amigo leitor, siga o exemplo dos bereanos. "Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim" (Atos 17.11).

 

Confira este e outros estudos em arquivos ou áudio em nosso site:    www.idsdc.com.br

 

  

 Informação Importante:

 

Prezado amigo visitante, se o assunto te parece interessante, entre em contato conosco e solicite o estudo completo. Informe também um email válido, e não esqueça de consultar sua caixa de E-mails e Spam regularmente.

Se preferir receber os estudos em PDF, você pode entrar em contato conosco diretamente pelo portal do site e nós enviaremos ao teu email. É mais eficiente e fácil de controlar. Para isso clique em: Fale Conosco  Estamos à disposição para atender em tudo que estiver ao nosso alcance.